outubro 26, 2016 0 363 Visualizações

Star Wars – Trilogia Thrawn

“Os rebeldes serão os arquitetos de sua própria destruição”

Em 1991, antes de George Lucas lançar os episódios I, II e III, muito antes da Disney comprar e refazer o Universo Expandido, e antes mesmo do dilúvio de livros do antigo Universo Expandido que se seguiram, Timothy Zahn escreveu sobre os eventos seguintes à Retorno de Jedi. Zahn produziu uma trilogia de livros que superam expectativas, e de alguns ângulos, excedem a qualidade dos filmes. Para muitos que não conseguiram engolir a reforma da Disney, os livros de Zahn, conhecidos como a trilogia de Thrawn, ainda são os verdadeiros episódios VII, VIII e IX.

Herdeiro do Império, Ascensão da Força Sombria, e O Último Comando fazem parte de uma série contínua quase diretamente após a queda de Darth Vader, o Imperador, e o Império. Cinco anos após a conclusão de O Retorno de Jedi, Luke, Leia, Han, Chewbacca, R2D2, C3PO e todos os favoritos dos fãs continuam a ser os personagens principais. E embora agora na meia-idade, Zahn conseguiu com sucesso envelhece-los de forma natural. Mas o grande foco da trilogia não é como lida com os personagens velhos. É como introduz os novos e principalmente um. Talvez o mais profundo e mais incrível inimigo em Star Wars, o personagem é tão forte que emprestou seu nome a trilogia e foi recentemente reintroduzido ao cânon pela Disney.

Grande Almirante Thrawn.

Um personagem mais profundo do que qualquer apresentado na tela, Thrawn tem uma complexidade e engenho que tornam todas suas cenas interessante. Inteligência e astúcia como suas armas, a Nova República recém-formada encontra-se em uma luta desesperada por sua vida, enfrentando tanto os caóticos desafios de reformar um governo galático e ao mesmo tempo, lutar contra o Napoleão do Império.

Em relação à série como um todo, Zahn faz um trabalho notável de continuar a saga Star Wars no estilo e tom dos filmes. O escopo é ainda o comando da galáxia e as cenas de ação indicam uma forte familiarização com as guerras do universo e fandom de Star Wars. A única licença artística que Zahn se entrega é a criação de alguns novos personagens para preencher lacunas deixadas por aqueles que partiram, um punhado de novos planetas, e, claro, um novo enredo. A Força está presente de forma não explorada nos filmes e desenvolvimentos de enredo rolam e giram como a ópera espacial Star Wars sempre foi. Como um todo, Zahn mostra respeito pela franquia e nunca pretende mudá-la para seus próprios projetos ao contrário de muitos dos escritores contratados mais tarde tentariam.

Herdeiro do Império abre a trilogia como seria de esperar dada a conclusão de O Retorno de Jedi. Luke esta tentando abrir uma nova academia Jedi para reconstruir a Ordem, viajando o universo à procura de pessoas fortes na Força para se tornar novos cavaleiros e mestres. Leia, ainda posicionada de forma proeminente perto do topo, luta pela igualdade e democracia, entre a diversa fábrica de seres lutando por espaço na florescente Nova República, ao mesmo tempo que lida com três meses de gravidez. Han, apesar de suas dúvidas, foi finalmente convencido a participar do governo, como um representante para recrutar outros contrabandistas para linhas de transporte da Nova República, fortemente empobrecidas, com Chewbacca ao seu lado.

Um desses contrabandistas é um personagem novo e importante. Inteligente e bem colocado na infra-estrutura social e econômica do universo, os talentos de Talon Karrde fazem dele um homem difícil para Han enganar. A mão direita de Karrde  é a misteriosa mas altamente eficaz Mara Jade. Partes de seu passado em segredo até para si mesma, ela tem uma obsessão incontrolável de matar Luke Skywalker e, ocasionalmente, interrompe seus deveres de contrabando para saciar o desejo. Incluindo Thrawn e o senil Joruus C’Boath, um panteão inteiro de novos atores se junta aos heróis clássicos, trazendo caos à galáxia, cada um de seu jeito.

Ascensão da Força Sombria e O Último Comando continuam os eventos do primeiro. Com estilo e contíguo em tom com os filmes, Zahn continua a mover a história em uma direção positiva. Ele também mostra como o arco geral história foi bem planejado, o desenvolvimentos de enredo evoluindo de forma interessante e imprevisível (ou pelo menos semi-imprevisíveis, é uma história Star Wars, afinal de contas). Maior e mais complexa devido ao que está em jogo, a história de Zahn é melhor em alguns aspectos do que os filmes. Lugares são explorados com maior profundidade, eventos importantes são mais numerosos, e interação de personagem é abundante. Com o maior grau de liberdade espacial, cenas e situações são exploradas de forma indisponível para os filmes na época. A tentativa de assassinato de Luke, a batalha pelos dreadnaughts da Força Sombria, a visita de Thrawn ao Noghri, os asteróides que o Império usa para cercar Coruscant, e o confronto final são todos momentos clássicos de Star Wars.

No final, a trilogia de Thrawn é um complemento sólido para o universo de Star Wars que irá certamente satisfazer as elevadas expectativas da maioria dos fãs. Personagens favoritos estão lá, bem como novos memoráveis, incluindo Thrawn, os noghri, Mara Jade, e Karrde. A linha da história geral do universo leva um grande passo em frente, enquanto, o mais importante, Zahn adere ao entendimento comum que é o core do universo Star Wars e não tenta eventuais desvios radicais a esta norma não escrita. Tudo está no espírito do estilo e da criação de Lucas. Tão respeitado Zahn e o que fez é que a Disney teve que reintroduzir o Grande Almirante ao seu novo cânon e o fez de maneira brilhante e respeitável. Grandes coisas estão por vir e muito aconteceu depois da publicação da trilogia em 1991. Mas Zahn e sua trilogia deram inicio ao Universo Expandido e manutenção do hype por Star Wars, numa época onde não haviam filmes ou séries.

A grande revelação da terceira temporada de Star Wars Rebels

A grande revelação da terceira temporada de Star Wars Rebels

Foi um renascimento do universo Star Wars que deixa, assim como seu Grande Almirante, rastros até hoje.

 

 

Sobre o Autor:

Matheus Dias
Matheus Dias 20 resenhas

É estudante de Relações Internacionais e PhD em dar palpite sobre a terra da rainha. Se Harry Potter fez dele um leitor, Star Wars o batizou como nerd. Estrangeiro às praias do Rio de Janeiro, pode ser constantemente encontrado no Pub Irlandês mais proximo de casa.

Você pode gostar também

Livros

Filhos do Éden: Paraíso Perdido

“Antes da grande batalha do Armageddon, antes que o sétimo dia encontre seu fim, os antigos aliados, Miguel e Gabriel, atuais adversários, deparam-se com uma nova e perigosa ameaça –

Livros

A Batalha do Apocalipse

Há muitos anos no paraíso, um grupo de anjos guerreiros desafiou a tirania dos arcanjos, que dominavam e oprimiam a todos. Eles foram expulsos e forçados ao exílio, condenados a

Meninos gostam de azul, meninas gostam de rosa. Ou não?

A editora Callis lançou esse mês o livro Meninos gostam de azul, meninas gostam de rosa. Ou não?, da escritora e ilustradora Nível Salgado. A obra reforça a importância de