Trapaça

Trapaça

Nos anos 70, um grande vigarista, Irving Rosenfeld (Christian Bale), aplica golpes brilhantes junto com sua parceira Sydney Prosser (Amy Adms). Eles estavam ganhando muito dinheiro e corria tudo como o planejado, até que eles são descobertos e obrigados a colaborar com um agente do FBI, Richie DiMaso (Bradley Cooper).
O que eles não sabiam é que esse serviço iria jogá-los direto no mundo da máfia e no mais perigoso ainda, mundo da política, já que até o prefeito da cidade, Carmine Polito (Jeremy Renner), está envolvido nas armações. Mas quando as coisas pareciam que estavam na direção certa, a esposa de Irving, Rosalyn (Jennifer Lawrence) aparece e coloca tudo de cabeça para baixo.

Trapaça foi baseado na operação, ABSCAM (abreviação para golpe Arab), realizada no final dos anos 70, quando o FBI, contou com a colaboração de um criminoso, Mel Weimberg (que foi a inspiração para o personagem de Bale) para incriminar figuras maiores. A operação tinha como objetivo investigar o tráfico de bens roubados, mas foi ampliada para incluir corrupções políticas. Nela também foi usado um fictício milionário do Oriente Médio dando propina a vários políticos. 
O filme, dirigido por David O. Russell (O lado bom da vida, O Vencedor, Adaptção) possui um elenco grandioso, aonde muitos brilham. Principalmente Bale, que está irreconhecível, não só pela sua caracterização, mas também pelos 18 quilos que ganhou para interpretar Irving Rosenfeld. Ele está tão diferente que até o ator Roberto De Niro (que faz o mafioso Victor Tellegio) não o reconheceu no set de filmagem, mesmo depois de terem sido apresentados. Sua atuação também foi incrível. 
Também gostei muito de Amy Adms. Ela chama atenção não só pelas roupas, com decotes generosos, mas também pelo papel. Ela mostra que a vigarista Sydney, apesar de ser muito esperta e amante do crime, também é bem assutada, já que é novata nessa arte. 
Uma curiosidade é que a equipe do diretor David O. Russel, deu muita atenção as roupas e cabelos dos personagens, que foram inspirados na moda dos anos 70. A peruca de Irving, os cabelos enrolados de Richie, o topete do prefeito Polito, isso sem contar os figurinos de Sydney e Rosalyn chamam atenção durante todo o filme. O vestido que Sydney usa na cena em que ela e Rosalyn estão no banheiro da festa, é de cair o queixo de qualquer um.
Merecem muitos elogios a equipe de produção, maquiagem e figurino do filme. A ambientação foi muito bem feita com todo o estilo dos anos 70. E a turma da maquiagem e cabelos arrasou. A cena em que Cooper aparece de rolinhos nos cabelos para mante-los cacheados é hilária, mas mostra a essência da época, no qual os cabelos eram parte importante da produção.
Os atores tem tanta força nesse filme, que foram indicados ao Oscar de melhor ator (Christian Bale), atriz (Amy Adms), ator coadjuvante (Bradley Cooper) e atriz coadjuvante (Jennifer Lawrence). O filme tem uma história ótima com uma trama que tinha tudo para dar certo, se não fossem as duas horas e dezoito minutos de filme. Parece que não, mas pelo menos para mim, ele acabou se tornando muito longo e perdeu um pouco o ritmo. Algumas cenas pareciam não ter fim. Mas no geral é um bom filme, que vale a pena. Recomendo!

Sobre o Autor:

Renata Araujo
Renata Araujo 298 resenhas

É jornalista por formação, nerd por paixão e cresceu rodeada de livros sendo até proibida de comprar mais por não ter aonde botar. Era figura conhecida na locadora mais próxima, aonde nem precisava se identificar, hoje em dia usa o quarto do namorado como depósito de livros. Adora livros de fantasia, sendo um PotterManiaca, mas não dispensa nenhum gênero. Para filmes prefere os clássicos dos anos 80 e compara qualquer filme com Dirty Dance - Ritmo Quente e O Guarda Costa.

Você pode gostar também

Filmes

Gravidade

Matt Kowalski (George Clooney) é um astronauta americano super experiente que está em sua expedição final antes de se aposentar. Sua última missão tem como objetivo consertar o telescópio Hubble,

Filmes

300 Ascensão do Império

A Ascensão do Império não se trata de uma continuação, mas sim da mesma guerra do filme 300, só que mostrada por um outro lado. Enquanto Leonidas e os 300

Filmes

Divergente

Numa Chicago futurista, todos os jovens quando completam 16 anos passam por um teste afim de indicar qual a melhor facção deve ser escolhida para se tornar seu novo lar.