RoboCop

RoboCop

Em um futuro, não muito distante, os drones e robôs são usados para garantir a segurança da população em lugares aonde a guerra está fazendo vítimas. Eles parecem funcionar bem, mas o governo americano ainda tem suas dúvidas com relação a traze-los para ajudar no combate ao crime e proíbe a presença deles nas ruas.
A empresa OmniCorp, criadora destas máquinas, liderada pelo ganancioso Raymond Sellars (Michael Keaton) com o intuito de reverter o cenário, resolve que vai conquistar a população criando um robô que tenha consciência humana. E a oportunidade aparece quando o policial Alex Murphy (Joel Kinnaman) sofre um atentado e fica entre a vida e a morte. Ele se torna a cobaia perfeita, mas depois de ser salvo, seu maior desafio será descobrir qual o lado vai prevalecer, humano ou o da máquina.
Dirigido pelo brasileiro José Padilha (Tropa de Elite 1, Tropa de Elite 2), RoboCop não é simplesmente uma refilmagem do primeiro, feito em 1987 e dirigido por Paul Verhoeve. Ele é uma releitura e grande homenagem a este clássico que fez muito sucesso nos anos 80. Por isso não pense que vai ser tudo igual ao primeiro filme. Além do roteiro ser um pouco diferente, o traje também foi modificado. Ao invés de prata, ele é todo preto, o que ficou incrível, dando um ar mais moderno ao robô policial. 
Esse novo RoboCop parece se preocupar mais com o processo do personagem em descobrir sua própria natureza, mas não deixa de falar sobre política, crimes, corrupção e manipulação da mídia, o que eu achei muito legal. Ele também não é tão violento nem tão exagerado quanto o dos anos 80, que não se preocupava em esconder nada das câmeras e teve até alguns momentos cômicos, que valeram a pena. Um exemplo bem legal, foi quando na trilha sonora, composta pelo brasileiro Pedro Bromfman, ouvimos a música tema do Homem de Lata de O Mágico de Oz. 
Prestando as devidas homenagens tanto com frases marcantes (eu adorei quando ele disse “Vivo ou morto, você vem comigo”) quanto com a música tema e com um elenco excelente, com nomes como Gary Oldman, Michael Keaton, Jay Baruchel e a participação especial de Samuel L. Jasckson, RoboCop é um ótimo filme. Parabenizo José Padilha e toda a produção por conseguir fazer um filme tão bom quanto o primeiro. Recomendo!
Trailer: http://goo.gl/vilMg9
Música tema RoboCop: http://goo.gl/Ld7HzV

Sobre o Autor:

Renata Araujo
Renata Araujo 298 resenhas

É jornalista por formação, nerd por paixão e cresceu rodeada de livros sendo até proibida de comprar mais por não ter aonde botar. Era figura conhecida na locadora mais próxima, aonde nem precisava se identificar, hoje em dia usa o quarto do namorado como depósito de livros. Adora livros de fantasia, sendo um PotterManiaca, mas não dispensa nenhum gênero. Para filmes prefere os clássicos dos anos 80 e compara qualquer filme com Dirty Dance - Ritmo Quente e O Guarda Costa.

Você pode gostar também

Boyhood – Da Infância à Juventude

Boyhood conta a história de Mason (Ellar Coltrane), um menino com pais separados que vive com sua mãe Olivia (Patricia Arquette) e sua irmã Samantha (Lorelei Linklater). Olivia faz de tudo para

Filmes

A Vida Secreta de Walter Mitty

Walter Mitty (Ben Stiller) leva uma vida bem comum. Ele é funcionário da revista Life aonde é responsável pelo setor de negativos, cuida de sua mãe e de sua irmã

Filmes

12 Homens e uma sentença

“This man has been standing alone against us. It’s not easy to stand alone against the ridicule of others. So he gambled for support – and I gave it to