novembro 19, 2013 0 393 Visualizações

O Oceano no Fim do Caminho

Há quarenta anos atrás uma história aconteceu, porém só foi lembrada agora, quando aquele que era apenas um menino se transformou em homem feito. Os tempos eram outros, ele tinha sete anos, morava com seus pais e sua irmã e era época de sacrifícios. Ele precisou sair de seu quarto, para aluga-lo aumentando o sustento da família.
Foi nesse momento que tudo começou a mudar. O primeiro inquilino foi o minerador de opala, que uma noite roubou o carro da família que o abrigou, e cometeu suicídio. Esse ato foi o ponta pé inicial de uma série de acontecimentos perturbadores. Acontecimento esses que nunca foram vistos nesse mundo. Um show de horrores percebido pelo olhar de uma criança que jamais havia imaginado aquelas cenas nem em seus piores pesadelos.
Sua única certeza era que os adultos não iriam acreditar em suas palavras. Até porque seus pais estavam tão envolvidos nos eventos que não poderiam perceber a maldade. E foi nesse momento que uma pessoa apareceu para ajudar. Alguém que entendia dessa força sobrenatural. Uma amiga que lhe mostrou seu primeiro oceano e o significado de uma verdadeira amizade.
Em O Oceano no Fim do Caminho, o narrador, que também é o personagem principal, é tão comum que nem tem nome. Ele nos leva a um flashback de sua vida, nos fala de seus medos, suas preocupações e de seus sentimentos mais profundos. Esse livro fala sobre o amor, a amizade e sobre a força que temos dentro de nós e que nem sempre sabemos que existe, pois ela só aparece em alguns momentos. Aqueles em que mais necessitamos. Momentos em que precisamos sobreviver.

 

Em uma entrevista o autor afirma que o personagem principal é quase como ele mesmo. Perguntado se esse livro seria autobiográfico, ele afirma que por mais pessoal que seja (ele diz que é o livro mais pessoal que já escreveu) não significa que os fatos sejam verdadeiros. Ele apenas faz uma referência pessoal sobre como via o mundo com sete anos de idade.
 

“É uma história sobre magia, o poder das histórias e como enfrentar a escuridão dentro de cada um de nós. É sobre medo, amor, morte e famílias. Mas fundamentalmente espero que, na essência, seja um romance sobre sobrevivência” Neil Gaiman
Neil Gaiman é um escritor americano que começou sua carreira nos quadrinhos. Sua série mais conhecida é Sandman, que conta a história de Morpheus, personificação do sonho. Ao todo foram 75 edições da história que foi de 1988 até 1996. Quando o assunto são os romances, ele escreveu Stardust (que virou filme de mesmo nome) , Deuses Americanos, Coraline entre outros.

O Oceano no Fim do Caminho foi o último livro escrito por Neil (lançado esse ano), que estava desde de 2005 sem escrever romances adultos. Ele contou que esse livro surgiu quando sua mulher, a cantora Amanda Palmer, estava na Austrália gravando um disco. Ele queria escrever um conto e mandar para ela para mostrar que estava com saudades, mas quando percebeu, já tinha escrito mais do que imaginava e por isso transformou-o em livro .
 

Esse foi o primeiro livro do Neil Gaiman que li e por isso quando comecei achei meio estranho, mas logo me senti tão envolvida na história que nem percebi que estava saindo do mundo real e me jogando para o mundo de fantasias criado por ele. Fiquei fã de seu estilo e de sua escrita que é muito envolvente. Recomendo a todos!
Link da editora Intrinseca: http://goo.gl/UbFJby

Página Oficial do autor: http://www.neilgaiman.com/
Página sobre o autor (em português): http://neilgaiman.com.br/
Link para compra Submarino: http://goo.gl/aO2mDv
Link para compra Livraria Cultura: http://goo.gl/iLO93T
Link para compra Livraria Cultura epub : http://goo.gl/v8itCa

Sobre o Autor:

Renata Araujo
Renata Araujo 298 resenhas

É jornalista por formação, nerd por paixão e cresceu rodeada de livros sendo até proibida de comprar mais por não ter aonde botar. Era figura conhecida na locadora mais próxima, aonde nem precisava se identificar, hoje em dia usa o quarto do namorado como depósito de livros. Adora livros de fantasia, sendo um PotterManiaca, mas não dispensa nenhum gênero. Para filmes prefere os clássicos dos anos 80 e compara qualquer filme com Dirty Dance - Ritmo Quente e O Guarda Costa.

Você pode gostar também

Livros

Eu me chamo Antônio

Antônio é um personagem de um romance, frequentador assíduo de bares e que despeja comentários sobre a vida e tudo mais, utilizando de desenhos e frases sempre escritas em guardanapos.

Livros

Filhos do Éden: Paraíso Perdido

“Antes da grande batalha do Armageddon, antes que o sétimo dia encontre seu fim, os antigos aliados, Miguel e Gabriel, atuais adversários, deparam-se com uma nova e perigosa ameaça –

Meninos gostam de azul, meninas gostam de rosa. Ou não?

A editora Callis lançou esse mês o livro Meninos gostam de azul, meninas gostam de rosa. Ou não?, da escritora e ilustradora Nível Salgado. A obra reforça a importância de